Relações Internacionais, Curso, Carreira

Imagine uma profissão que necessite que você tenha pensamento estratégico, que saiba lidar com o público, que encontre soluções para diversos problemas de forma ágil, negociando entre as partes para encontrar a melhor solução para ambas. Esse é, resumidamente, o trabalho de um profissional de relações internacionais.

As matérias do curso focam em três grandes áreas: política, direito e economia. A grade curricular conta com aulas de história, direito internacional, geografia, filosofia, antropologia, sociologia, psicologia e estudos culturais. Os assuntos abordados em aula são os mais diversos e visam estudar e aprofundar o conhecimento do aluno a cerca de questões relativas a globalização; sustentabilidade; proliferação nuclear; nacionalismo e soberania; sistema financeiro e desenvolvimento econômico; crime organizado, terrorismo e segurança humana; intervencionismo e direitos humanos.

Além de capacitar o futuro profissional em todas as questões relativa à política, direito e economia internacional, a partir do quarto semestre de curso, o aluno terá que participar do programa de estágio, a fim de praticar todos os conhecimentos adquiridos em aula. Desta forma, o futuro internacionalista estará melhor preparado para realizar suas funções quando depois de graduado.

Muitas das pessoas que optam por este curso, vislumbram seguir na área diplomática, mas o mercado de trabalho é mais extenso do que isso. Quem se gradua em relações internacionais tem a opção de trabalhar em diversas empresas, multinacionais ou não, que realizam negócios com investidores estrangeiros. Por conta da internacionalização das relações comerciais, estas empresas buscam contratar profissionais que possuam uma visão global e trato diplomático para ocupar posições de gestão. Grandes nomes do mercado, como Ambev, Embraer, Vale, Danone e Unilever, oferecem vagas de trainees para atuação no país ou no exterior.

Mas se as relações diplomáticas são o seu foco e, acima de tudo, o seu sonho, a boa notícia é que os órgãos públicos como o Itamaraty, Tribunais de Conta da União e dos estados, quadruplicaram nos últimos três anos a quantidade de vagas em concurso para esse profissional. E a tendência é que a demanda por esses profissionais cresça ainda mais nos anos que virão.

Os profissionais internacionalistas podem ainda atuar em organizações não-governamentais, bancos de investimento, além da área acadêmica. Por ser um mercado de trabalho muito amplo, a variação salarial é muito grande de um órgão para outro.

A carreira é promissora e ilustra o sonho de muitos jovens brasileiros que possuem certo traquejo político e que têm apreço pelas áreas de atuação da profissão, tais como economia, direito internacional e relações humanas. Se você possui interesse na área, saiba que para se obter sucesso nesta profissão é necessário muito estudo e dedicação. O futuro internacionalista precisa gostar, e muito, de ler e dominar outros idiomas, sendo que a língua inglesa é fundamental.

Add a Comment